domingo, 20 de março de 2011

A RETOMADA DE PONTA NEGRA PELOS NATALENSES

Após invasão e êxodo de estrangeiros, mercado imobiliário baixa preços e volta suas atenções para os moradores de Natal.

Após um período de forte especulação imobiliária, puxada pela presença maciça de estrangeiros, novos imóveis são erguidos com preços mais acessíveis aos moradores. Preço do metro quadrado já chegou a valer R$ 8 mil. Fotos: Fábio Cortez/DN/D.A Press

O mercado imobiliário de Natal sofreu inúmeras alterações nos últimos 10 anos e uma das áreas que mais passou por mudanças foi um dos cartões postais da capital potiguar: a Praia de Ponta Negra. Invadida por "gringos" no início dos anos 2000, a praia continua recebendo turistas, mas agora com a maioria tendo nacionalidade brasileira e procurando moradia. O perfil de quem frequenta a praia e mora no bairro de Ponta Negra, após a saída de grande parte dos estrangeiros que ocupavam o local, agora é predominantemente de natalenses. No esteio da recuperação de Ponta Negra nasceu o movimento "Ponta Negra é minha praia", que reúne vários setores da sociedade civil em defesa da "praia para os natalenses".

Depois do aumento dos preços dos terrenos em Natal, onde os imóveis na cidade ficaram quase impraticáveis para o bolso dos próprios natalenses, as empresas de construção civil da cidade estão despertando para a redução dos custos dos empreendimentos para se adequarem ao público local, se tornando mais competitivas e oferecendo preços justos à população.

A "invasão estrangeira" ocorrida há 10 anos atrás chegou a quadruplicar o preço médio do metro quadrado nos imóveis de Ponta Negra, elevando os preços de casas e apartamentos para um dos patamares mais caros do Nordeste. Antes da onda estrangeira, o preço médio do metro quadrado no local, já uma área valorizada na cidade, girava entre R$ 1,8 mil e R$ 2 mil. Com a chegada dos estrangeiros, o preço disparou, chegando a faixa dos R$ 8 mil. "Hoje o preço médio caiu pela metade, dando oportunidade para o natalense voltar a morar na praia", afirma o empresário Ricardo Abreu, dono de uma das principais imobiliárias do Rio Grande do Norte.

Para Ricardo Abreu, o bairro de Ponta Negra é o melhor para se morar em Natal, mas ainda precisa de melhorias. Hoje, cerca de 24 mil pessoas residem no bairro, que alia grandes espigões a uma vila de pescadores, excelente infraestrutura de hotéis, pousadas e restaurantes, além do cartão postal mais conhecido da cidade, o Morro do Careca.

"O mercado imobiliário de Ponta Negra está, aos poucos, recuperando-se, mas falta que o poder público auxilie com melhorias. Sem investimentos não há retorno", explica o empresário. Segundo ele, fatores como a exposição negativa do bairro por todo o Brasil, as ruas ocupadas por prostituição e tráfico de drogas, os embargos do poder público a alguns empreendimentos acabaram afastando tanto o natalense como o turista que buscava investir no local.

Fonte: Paulo Nascimento
Especial para o Diário de Natal
paulonascimento.rn@dabr.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário