terça-feira, 30 de agosto de 2011

QUEM DIZ QUE TECNÓLOGO EM NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS NÃO PODE ELABORAR PARECER TÉCNICO DE AVALIAÇÃO MERCADOLÓGICA, NÃO SABE O QUE DIZ!

RESOLUÇÃO-COFECI N° 1.066/2007
(Publicada no D.O.U. de 29/11/07, Seção 1, págs. 191/192) Estabelece nova regulamentação para o funcionamento do Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários, assim como para elaboração de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica e dá outras providências.

O CONSELHO FEDERAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS-COFECI, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 16, inciso XVII, da Lei n° 6.530, de 12 de maio de 1978,

CONSIDERANDO o disposto no art. 3º da Lei n.º 6530/78 que atribui ao Corretor de Imóveis, entre outras, a competência para opinar sobre comercialização imobiliária;

CONSIDERANDO o disposto no art. 39, VIII da Lei nº 8.078/90 (Código de Defesa do Consumidor), que impede o fornecimento de serviços em desacordo com as normas expedidas pelos órgãos oficiais competentes ou, na sua inexistência, com as diretrizes das normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT;

CONSIDERANDO a normatização, pela ABNT, dos procedimentos gerais na avaliação de bens, através da norma NBR 14653-1, e das avaliações de imóveis urbanos e rurais através das normas NBR 14653-2 e NBR 14653-3, respectivamente;

CONSIDERANDO que as grades curriculares dos cursos de avaliação de imóveis e superiores em gestão imobiliária incluem disciplinas em que são ministrados os conhecimentos necessários à elaboração de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica; (Grifo nosso)

CONSIDERANDO a decisão unânime adotada pelo E. Plenário na Sessão Plenária realizada no dia 22 de novembro de 2007,

R E S O L V E:

DO CADASTRO NACIONAL DE AVALIADORES IMOBILIÁRIOS

Art. 1º - O Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários – CNAI, cuja organização e manutenção estão a cargo do Conselho Federal de Corretores de Imóveis, a quem cabe também expedir Certificados de Registro de Avaliador Imobiliário para os Corretores de Imóveis nele inscritos, será compartilhado com os Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis-Creci´s.

Parágrafo Único - A inscrição do Corretor de Imóveis no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários é opcional, nada obstando ao corretor de imóveis nele não inscrito opinar quanto à comercialização imobiliária nos termos do artigo 3º, in fine, da Lei nº 6.530, de 12 de maio de 1978.

Art. 2º - Poderá inscrever-se no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários o Corretor de Imóveis que seja, cumulativa ou alternativamente:

I) possuidor de diploma de curso superior em gestão imobiliária ou equivalente;
(Grifo nosso)

II) possuidor de certificado de conclusão de curso de avaliação imobiliária.

§ 1º - Somente serão aceitos, para fins de inscrição no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários, os certificados de cursos reconhecidos pelo Conselho Federal.

§ 2º - Para inscrição no CNAI, o Conselho Federal poderá exigir aprovação prévia em prova de conhecimentos sobre avaliação mercadológica de imóveis.

Art. 3º - Os inscritos ou pretendentes à inscrição no CNAI recolherão, em conta corrente bancária do Conselho Federal, taxa em valor correspondente a 30% (trinta por cento) do valor-base da anuidade da pessoa física no exercício, para cada um dos serviços abaixo relacionados:

I - inscrição para prova de conhecimentos sobre avaliação mercadológica de imóveis;

II - registro ou renovação de registro no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários.

Parágrafo Único - A taxa a que se refere o item I deste artigo não será cobrada cumulativamente com a taxa de registro no Cadastro Nacional de Avaliadores.

DO PARECER TÉCNICO DE AVALIAÇÃO MERCADOLÓGICA

Art. 4º - Entende-se por Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica – PTAM - o documento elaborado por Corretor de Imóveis no qual é apresentada, com base em critérios técnicos, análise de mercado com vistas à determinação do valor de comercialização de um imóvel, judicial ou extra-judicialmente.

Art. 5º - O Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica, para determinação do valor de mercado, deve conter os seguintes requisitos mínimos:

I) identificação do solicitante;
II) objetivo do parecer técnico;
III) identificação e caracterização do imóvel;
IV) indicação da metodologia utilizada;
V) valor resultante e sua data de referência;
VI) identificação, breve currículo e assinatura do Corretor de Imóveis Avaliador.

§ 1º - São requisitos para caracterização do imóvel a identificação de seu proprietário, o número da matrícula no Cartório do Registro de Imóveis e o endereço completo ou a descrição detalhada de sua localização.

§ 2º - A descrição do imóvel deve conter, no mínimo:

I) medidas perimétricas, medida de superfície (área), localização e confrontações;
II) descrição individualizada dos acessórios e benfeitorias, se houver;
III) contextualização do imóvel na vizinhança e infra-estrutura disponível;
IV) aproveitamento econômico do imóvel;
V) data da vistoria.

§ 3º - Ao Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica recomenda-se estarem anexados:

I) mapa de localização;
II) certidão atualizada da matrícula no Cartório do Registro de Imóveis;
III) relatório fotográfico.

DA COMPETÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PARECER TÉCNICO DE AVALIAÇÃO MERCADOLÓGICA

Art. 6º - A elaboração de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica é permitida a todo Corretor de Imóveis, pessoa física, regularmente inscrito em Conselho Regional de Corretores de Imóveis. Parágrafo Único - A pessoa jurídica regularmente inscrita em Conselho Regional de Corretores de Imóveis pode patrocinar a elaboração de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica, chancelado por corretor de imóveis, pessoa física, nos termos deste artigo.

DO CERTIFICADO DE REGISTRO DE AVALIADOR

Art. 7º - A todo Corretor de Imóveis registrado no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários será expedido Certificado de Registro contendo:

I) nome por extenso do Corretor de Imóveis;
II) menção ao Conselho Regional em que está inscrito, número e data de inscrição;
III) tipo de habilitação profissional para inscrição no Conselho Regional;
IV) órgão expedidor do título de conclusão do curso de avaliação imobiliária, se houver;
V) data limite de validade do Certificado de Registro;
VI) data de expedição do Certificado de Registro e assinaturas do profissional, do Presidente e do Diretor Secretário do Conselho Federal.

§ 1º - O Certificado de Registro de Avaliador Imobiliário tem validade de 03 (três) anos, contados de sua emissão.

§ 2º - A renovação do registro poderá depender de aprovação em nova prova de conhecimentos sobre avaliação mercadológica de imóveis.

§ 3º - O Certificado de Registro de Avaliador Imobiliário poderá ser substituído ou complementado, a critério do Conselho Federal, com a mesma validade, pelo Cartão de Identidade de Avaliador Imobiliário.

DO SELO CERTIFICADOR

Art. 8º - Todo Corretor de Imóveis inscrito no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários tem direito à utilização do selo certificador, fornecido pelo Conselho Regional da jurisdição, para afixação em cada Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica de sua emissão.

Parágrafo Único - O selo certificador terá numeração individual e seqüenciada, com mecanismo que permita autenticação e certificação de código de segurança.

Art. 9º - O Conselho Regional de Corretores de Imóveis poderá cobrar, para o fornecimento do selo certificador, taxa não excedente a 10% (dez) por cento do valor da anuidade-base do exercício.

Art. 10 - O fornecimento do selo certificador, em três vias, condiciona-se ao preenchimento, pelo Corretor de Imóveis Avaliador, de Declaração de Avaliação Mercadológica, em documento eletrônico ou de papel, fornecido sem ônus pelo Conselho Regional.

§ 1º - O Conselho Regional arquivará uma via da Declaração de Avaliação Mercadológica, juntamente com uma via do correspondente Selo Certificador.

§ 2º - O Selo Certificador fica vinculado à Declaração de Avaliação Mercadológica, vedada a utilização de qualquer outro para o Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica correspondente.

§ 3º - O Selo Certificador poderá ser emitido eletronicamente.

Art. 11 - É responsabilidade do Corretor de imóveis Avaliador inscrito no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários:

I) requerer junto ao Conselho Regional a expedição do selo certificador;
II) fixar o Selo Certificador nas respectivas vias do Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica.

DO ARQUIVAMENTO PARA FINS DE FISCALIZAÇÃO

Art. 12 - O Corretor de Imóveis Avaliador deverá manter em arquivo, por 05 (cinco) anos, cópias do Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica, da Declaração de Avaliação Mercadológica e do vinculado Selo Certificador, os quais deverão ser apresentados, se e quando solicitados pelo Conselho Regional, no prazo máximo de 05 (cinco) dias úteis.

Disposições Finais

Art. 13 - O Presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis regrará, através de Ato Normativo de observância obrigatória:

I) a forma de inscrição no Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários;
II) a instituição de prova de conhecimentos sobre avaliação mercadológica de imóveis;
III) a instituição de modelos dos documentos e do Selo Certificador previstos nesta Resolução;
IV) a instituição de modelo básico de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica.

Art. 14 - O Corretor de Imóveis inscrito no CNAI submete-se, espontaneamente, aos regramentos estabelecidos nesta Resolução, sendo que a transgressão a quaisquer de seus dispositivos, assim como a constatação de comportamento antiético que comprometa a dignidade da instituição Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários, serão considerados infração ética de natureza grave, nos termos definidos pela Resolução-Cofeci nº 326/92 (Código de Ética Profissional).

Art. 15 - Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições contrárias.

Salvador (BA), 22 de novembro de 2007

João Teodoro da Silva
Presidente

Curt Antônio Beims
Diretor Secretário

SP ´VENDAS DE IMÓVEIS DESPENCAM NO PRIMEIRO SEMESTRE

As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo recuaram 31,3% no primeiro semestre de 2011 frente ao mesmo período de 2010, passando de 17.005 unidades para 11.680. Os dados foram divulgados hoje (30) pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação) durante apresentação do balanço semestral do mercado imobiliário. Até o final do ano a entidade estima que sejam comercializadas 32 mil unidades, com queda de 9% frente às 36 mil vendas realizadas no ano passado. Clique nos gráficos abaixo para ampliar
No mesmo período, os lançamentos tiveram leve alta de 3%, saindo de 13.581 unidades nos primeiros seis meses de 2010 para 13.992 de janeiro a junho de 2011. No acumulado do ano, a projeção é de que os lançamentos cheguem a aproximadamente 38 mil unidades, empatando com o resultado de 2010.
A velocidade de vendas, medida pelo índice de vendas sobre oferta (VSO), sofreu retração, passando de 21,6% ao mês no primeiro semestre de 2010 para 13,2% ao mês em igual período de 2011. Significa que, em média, os empreendimentos têm sido vendidos em até oito meses.

De acordo com Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, "essa velocidade mostra um mercado bastante saudável". Para ele, dificilmente as empresas voltarão a experimentar VSO equivalente ao de 2010, cuja média do ano foi de 23,2% ao mês. "Hoje ninguém está deixando dinheiro na mesa, ou seja, ninguém está vendendo com uma velocidade assustadora", comenta o economista.

Petrucci ressalta que a participação do segmento econômico foi menor no primeiro semestre de 2011, já que o programa Minha Casa, Minha Vida ficou paralisado nas faixas mais baixas de renda até meados de julho, o que também teria ajudado a derrubar a velocidade de vendas.

Resultados por tipologia

A desaceleração da oferta no segmento econômico impactou também o perfil dos lançamentos deste ano. As unidades residenciais de quatro ou mais dormitórios ampliaram sua participação no mercado e responderam por 11% dos lançamentos nos primeiros seis meses de 2011. Em período equivalente do ano anterior, esta fatia era de 8%. Já as vendas nesta tipologia não acompanharam o crescimento, reduzindo sua participação de 19% para 14%. "Esses produtos mais caros já devem ter alcançado o limite da disposição do público para pagar os preços que estão sendo cobrados. Ainda assim, as empresas estão lançando. Elas preferem vender mais devagar, mas garantindo uma margem de lucro maior", comenta Petrucci. Chama a atenção também o desempenho das unidades de um dormitório, que aumentaram sua fatia nos lançamentos de 12% para 15% e nas vendas de 11% para 16%.

Região Metropolitana

Na região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital, foram vendidas 24.178 unidades no primeiro semestre de 2011. Houve variação negativa de 28% frente ao mesmo período de 2010, quando foram comercializadas 33.576 unidades. Os lançamentos, nos mesmos períodos, sofreram retração de 9% - de 27.187 unidades em 2010 para 24.739 em 2011 - e o VSO médio caiu de 19,1% para 13,5% ao mês.

Fonte: Pâmela Reis PINI Web

LARS GRAEL MINISTRARÁ PALESTRA MOTIVACIONAL NO 4º CONSIM

O campeão olímpico Lars Grael fará a palestra de enceramento do 4º Congresso Sul Imobiliário - CONSIM. O esportista abordará temas motivacionais, falará sobre dedicação, superação, mudança e adaptação. O 4º Consim será realizado, de 29 de setembro a 01 de outubro, em Foz do Iguaçu.

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Paraná, Creci/PR, é o responsável pela organização do Congresso com a co-realização do Cofeci, Creci/SC e Creci/RS.

O veleiro Lars Grael já disputou quatro olimpíadas e nos treinos para participar da quinta sofreu um acidente que mudou o rumo da sua vida. Após um período de recuperação, trabalhou na vida pública e começou a velejar por lazer. Voltou a competir, venceu vários campeonatos, incluindo a categoria star, que possui prestígio mundial.

A programação do 4º CONSIM também contará com palestras sobre a evolução do mercado imobiliário, tributação, avaliação, franquias, angariação entre outras. O evento tem como foco elevar o profissionalismo dos corretores de imóveis.

O presidente da comissão organizadora do 4º CONSIM, Alfredo Canezin, relata que os congressistas se surpreenderão com a palestra do medalhista. “A vida de Lars Grael possui uma carga muito forte de mensagens que servem para motivar e engrandecer qualquer pessoa”.

Os interessados podem obter mais informações sobre o 4º CONSIM no site http://www.consim4.com.br/

Fonte: Graciele Zepson
Assessora de Imprensa Creci/PR
(41) 3262-5505
(41) 8823-9013
www.crecipr.gov.br

HUMOR: A LONGEVIDADE DOS PROFISSIONAIS CORRETORES DE IMÓVEIS

O SEGREDO...

Um médico saiu a caminhar e viu essa velhinha da foto sentada no banco de uma praça fumando um cigarrinho.
Aproximou-se e perguntou:

"Nota-se que está bem, qual é seu segredo??

Ela então respondeu:
"Sou Corretora de imóveis",
durmo às 02 da manhã quando os clientes param de ligar e me levanto às 6 com a 1ª ligação do dia.

Nos fins de semana não pratico esportes, não me divirto.
Trabalho demonstrando imóveis, fazendo contratos na esperança do comprador realmente fechar, sou atravessada por outro pseudo colega, me irrito com compradores que querem ligar direto para o proprietário, deixo de estar com minha família para mostrar imóveis para compradores que na sua cara anotam e ligam para outros anúncios que estão na região, depois de fechado aguardo a boa vontade do vendedor em me pagar, sou taxada de receber sem fazer nada, sou vista como milionária quando depois de 03 meses fecho um imóvel com comissão acima de R$ 5.000,00.
Não tenho direito a férias, 13º, auxílio a nada, e ainda tenho de ouvir gracinhas de alguns engraçados que quando não tem condições de comprar dizem que o produto esta caro.
Não tomo café da manhã, não almoço e nem janto porque não dá tempo.

* O doutor então exclamou:

- “Mas isso é extraordinário”. A senhora tem quantos anos?

35, respondeu a velhinha....

Enviado por Marcelo Alcântara

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

JOÃO TEODORO DA SILVA: QUALIFICAÇÃO NO MERCADO IMOBILIÁRIO - EVOLUÇÃO A OLHOS VISTOS

Curso superior, técnico, pós-graduação e até mestrado vem ganhando destaque no setor imobiliário. Estimativas do Sistema Cofeci-Creci apontam que devem haver em funcionamento cerca de 40 salas de aula ministrando cursos na área imobiliária em todo Brasil. Há, entretanto, aproximadamente cinco instituições de ensino oferecendo o mesmo curso na modalidade presencial. Mais de 6 mil profissionais inscritos em CRECIs de todo país já são formados em Gestão de Negócios Imobiliários e cerca de 5.500 estão em fase de formação. O que ainda falta ser aprimorado? Qual será o futuro da qualificação na área imobiliária? Estas e outras questões foram debatidas na entrevista que a equipe Redimob realizou com o presidente do Sistema Cofeci-Creci, João Teodoro.

- Atualmente como pode-se avaliar a evolução do ensino superior e técnico da área imobiliária no Brasil?

Entendo que o ensino técnico, em nível de pós-médio, confere os ensinamentos básicos para se operar na profissão em âmbito local. Entretanto, se alguém quer mesmo ser um corretor de imóveis de padrão nacional e internacional ele tem mesmo de cursar um curso de graduação e, óbvio, ter fluência em inglês. Algumas universidades e centros universitários no Brasil estão oferecendo cursos de Tecnólogo em Gestão de Negócios Imobiliários muito bons, mas ainda em número insuficiente para atender à demanda nacional.

- O que ainda falta ser aprimorado?

Primeiramente, a oferta de cursos, que precisa aumentar. Segundo, a abrangência das disciplinas. Por exemplo: falta nos currículos escolares um bom curso de avaliação; negociação com estrangeiros, documentação imobiliária, tributação imobiliária no Brasil e no exterior. Enfim, embora os cursos já tenham uma boa carga horária e ótimas disciplinas, é preciso melhorar.

- Que ações podem ser feitas para promover maior conscientização dos profissionais a buscarem um curso superior na área?

O próprio mercado já está exigindo formação mais aperfeiçoada do que um simples curso técnico, mas os Conselhos Regionais e os demais organismos do mercado podem e devem incentivar por todos os meios de comunicação disponíveis.

- A falta de profissionais qualificados ainda é um entrave no setor. As empresas também devem auxiliar a promover a capacitação ou essa é uma responsabilidade exclusiva do corretor?

Algumas empresas de grande porte já têm programas muito eficientes de qualificação profissional, mas ainda é pouco. Outro problema é que, com o mercado em alta, não há como formar profissionais pra atender a toda a demanda. O tempo de formação é um empecilho intransponível. Não há como formar profissional a "toque de caixa". O resultado disso é que se está empregando muita gente sem qualificação, na condição estagiário. A solução, neste momento, é mesmo as próprias empresas empregadoras passarem a treinar seu pessoal.

- O que esperar do ensino superior e técnico na área de transação imobiliária nos próximos anos?

A tendência é que o ensino técnico, pós-médio, desapareça com o tempo deixando em funcionamento apenas os cursos de graduação. Entretanto, isso ainda deve demorar alguns anos, justamente por causa da escassez de profissionais no mercado. Enquanto o curso técnico forma um aluno em seis meses, o curso universitário forma em, no mínimo, dois anos.

O Sistema Cofeci-Creci não prevê a extinção imediata do curso técnico, mas penso que ela seja inevitável (Grifo nosso). Talvez a solução seja criarmos no futuro a figura do aprendiz de corretor de imóveis para substituir a figura do estagiário e do técnico de segundo grau. O mercado precisa também de profissionais menos qualificados para trabalhar na captação de imóveis avulsos e também na venda de loteamentos, plantões, etc.

Fonte: REDIMOB

JORNAL DA GLOBO: BOLHA IMOBILIÁRIA NÃO É A REALIDADE DO BRASIL

sábado, 27 de agosto de 2011

CRECI-PR: CORRETORES DE IMÓVEIS COMEMORAM 49 ANOS DE REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL

Os corretores de imóveis comemoram o seu dia neste sábado, 27 de agosto. A profissão, normatizada pela lei 4.116/62 e atualizada em 1978 pela lei 6.530, completa neste ano, 49 anos de regulamentação. No Paraná, estão credenciados atualmente mais de 10 mil corretores de imóveis, e em todo país este número já passa dos 200 mil.

A profissão surgiu no inicio do século XX. O desenvolvimento das cidades fez com que a comercialização de imóveis, por intermédio dos anúncios em jornal, se tornasse constante, passando a existir os primeiros profissionais.

O bom imobiliário fez com que os profissionais buscassem melhor capacitação. Os dados divulgados na última pesquisa, realizada pelo Sistema Cofeci-Creci, afirma que 64% dos corretores de imóveis possuem curso superior.

Os profissionais também estão preocupados com a reciclagem profissional. As palestras de capacitação, promovidas pelo Creci/PR, têm recorde de público. Os corretores de imóveis não são somente vendedores, atualmente trabalham como consultores de negócios imobiliários.

O presidente em exercício do Creci/PR, Ricardo Kikina, parabeniza todos os profissionais e relata que o objetivo principal desta profissão é oferecer à sociedade segurança e tranqüilidade na intermediação imobiliária. “Parabéns corretores pelo seu dia, continuem trabalhando com ética e zelo para que a nossa profissão seja vista sempre como indispensável nas negociações imobiliárias”.

Comemorações

Os eventos, em comemoração ao Dia Nacional dos Corretores de Imóveis, promovidos pelo Creci/PR, Sindimóveis e Sincil, serão realizados durante o mês de agosto e setembro. A diretoria do Creci/PR convida os corretores a participarem das festividades de confraternização da categoria.

Cidade / Data / Evento / Local

Cascavel / 27 de agosto / Jantar e baile / CTG Estância Colorada
São José dos Pinhais / 27 de agosto / Jantar / Buffet Imperial
Curitiba / 28 de agosto / Almoço / Sede Campestre Sindimóveis
Londrina / 04 de setembro / Almoço / Sede Campestre Sincil
Guarapuava / 16 de setembro / Jantar / Casa Vecchia
Pato Branco / 17 de setembro / Jantar / Bella Casa Grill
Maringá / 18 de setembro / Almoço / Sede Campestre Sindimóveis

Fonte: Graciele Zepson
Assessora de Imprensa Creci/PR
(41) 3262-5505
(41) 8823-9013

PARABÉNS CRISNILSON, CORRETOR DO ANO 2011 TERRENOS E FAZENDAS


Crisnilson C. De Lacerda atua no mercado imobiliário desde 1994, mas se dedica à venda de terrenos e fazendas desde 2006. Para ele, a diferença entre as duas áreas está no contato com construtores e investidores e garante que, apesar de ser trabalhoso, é um mercado seguro e constante. “Esse cliente é investidor, não para de comprar”, revela. Além da publicidade no jornal, o corretor utiliza muito a internet para divulgar seus produtos e afirma que vale a pena seguir a profissão, mesmo trabalhando até 15 horas, todos os dias. “Com o mercado aquecido, é impossível tirar férias”, confessa. O profissional acredita na fidelização baseada na confiança, o que lhe permitiu atrair 30% dos clientes através de indicação. Ainda assim, afirma que efetivar a venda “é uma questão de oportunidade” e o bom corretor precisa ser perseverante e honesto. Crisnilson vê a indicação ao prêmio Corretor do Ano A TARDE 2011, como um reconhecimento ao seu trabalho e considera essa mídia de grande importância para o mercado.

Crisnilson é meu aluno do 2ª. semestre do Curso Superior de Tecnologia em Negócios Imobiliários na Universidade Salvador - UNIFACS.

Confira a lista de premiados:

Corretor venda
Jorge Sales

Imobiliária venda
Nnova Soluções Imobiliária

Corretor aluguel
Marival Nunes

Imobiliária aluguel
José Alberto Imóveis

Corretor terreno e fazendas
Crisnilson Cavalcante

Imobiliária tereno e fazendas
J Osvaldo imóveis

Corretor destaque internet
Celeste Chaves

Imobiliária destaque internet
José Alberto imóveis

Corretor destaque Mobi
Célia Lima Macedo

Imobiliária destaque Mobi
Nnova imobiliária Soluções

Corretor Revelação
Thiago Cavalcante

Imobiliária Revelação
Remax Alpha Exclusive

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

TV COFECI: DIA DO CORRETOR DE IMÓVEIS

SINDIMÓVEIS BAHIA: 7a. CAMINHADA DO CORRETOR DE IMÓVEIS


O SINDIMÓVEIS-BAHIA, convida a todos os Corretores de Imóveis a participarem da 7ª Caminhada do Corretor de Imóveis no dia 27/08/2011, no Parque de Pituaçu as 8;30 hs, com a participação do Personal Lídio Adorno e ás 12;30 hs, Churrasco Dançante no Clube Campomar.

  • Corretores Sindicalizados camisa grátis
  • Acompanhantes R$ 25,00
  • Favor confirmar presença / Tel. 71.3335-9000

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

IGP-M ACUMULA ALTA DE 7,89% EM 12 MESES

O índice de preços mensurado pelo IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), usado como referência na maioria dos contratos de aluguel, subiu na segunda prévia do mês de agosto, com variação de 0,33%, após recuo de 0,21% no mesmo período de julho.

Após dois meses de deflação o indicador acumula altas nas duas prévias deste mês -que são apuradas em decêndios (períodos de dez dias). No acumulado dos últimos 12 meses, a variação é positiva, de 7,89%, enquanto varia 3,37% no ano.

Os dados foram divulgados ontem pela FGV (Fundação Getulio Vargas). No mês de julho fechado, o índice foi negativo, com deflação de 0,12%. O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) apresentou variação de 0,45%, após -0,38% no mesmo período do mês anterior.

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) registrou uma variação de 0,08%, após -0,11% no mesmo período do mês anterior. O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) apresentou uma alta de 0,18% na segunda leitura de agosto, ante 0,63% no mesmo período do mês anterior. A segunda prévia do IGP-M de agosto foi calculada com base nos preços coletados entre os dias 21 de julho e 10 do mês de agosto.

Fonte: G1.com.br

CRECI-BA: EXIGÊNCIA DA IDENTIFICAÇÃO DO CORRETOR DE IMÓVEIS EM TODA TRANSAÇÃO IMOBILIÁRIA ONEROSA

Deputado Estadual-PSB Capitão Tadeu e o Prof. Marcos Mascarenhas

Reivindicação antiga do CRECI-Ba, a exigência da identificação do Corretor de Imóveis em toda transação imobiliária onerosa, a exemplo do que ocorre no Estado de Sergipe, onde esta Lei foi sancionada, é encampada pelo Deputado Estadual Capitão Tadeu, que fará a propositura deste projeto de lei na Assembléia Legislativa do Estado da Bahia.

O presidente do CRECI-BA Samuel Arthur Prado já tinha encaminhado a mesma solicitação, através do conselheiro Fernando Cavalcanti, CRECI 715, ao deputado João Bacelar, que por assumir um cargo no governo da Bahia, ficou impossibilitado de continuar à frente do projeto, deixando-o a espera de um novo porta voz.

Este apoio político, dado pelo Capitão Tadeu à classe dos corretores de imóveis é de suma importância para a categoria, vez que proporcionará uma representação na Assembléia Legislativa para este e muitos outros projetos que poderão advir em benefício da mesma.

CONHEÇA OS TERMOS DA LEI 5.476 DO ESTADO DE SERGIPE:

LEI Nº 5.476
DE 30 DE NOVEMBRO DE 2004
Publicado no Diário Oficial No 24664, do dia 01/12/2004

Dispõe sobre a identificação do intermediário na venda e compra de imóveis, a título oneroso, na respectiva escritura pública e dá outras providências.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado de Sergipe aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º. As escrituras públicas de venda e compra de bens imóveis, a título oneroso, conterão a identificação da Pessoa Física ou Jurídica que intermediou a venda, com o respectivo número de sua inscrição no Conselho Regional de Corretores de Imóveis da Região.

§ 1º. Da identificação de que trata este artigo constará:

I - endereço completo;

II - número do CIC/MF.

§ 2º. Constará da escritura o valor recebido pelo intermediário da transação.

§ 3º. Ocorrendo a venda e compra sem intermediário, da escritura pública constará o seguinte:

"O(S) ALIENTANTE(S) E ADQUIRENTE(S) DECLARA(M), SOB AS PENAS DA LEI, QUE A VENDA E COMPRA DO OBJETO DESTA ESCRITURA FOI REALIZADA SEM INTERMEDIÁRIOS".

Parágrafo único. Constatada pelo Oficial do Cartório de Registro de Imóveis a inexistência das informações estabelecidas no art. 1º desta Lei na escritura pública de compra e venda esta será devolvida ao notário para que faça constar as anotações.

Art. 3º. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 4º. Ficam revogadas as disposições em contrário.

Aracaju, 30 de novembro de 2004; 183º da Independência e 116º da República.

JOÃO ALVES FILHO

GOVERNADOR DO ESTADO

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O MERCADO IMOBILIÁRIO E O SOCIAL COMMERCE

Seu avô não acreditaria nos dados que vamos apresentar durante este post. Seu pai pode ter a chance de ver esta nova tendência do mercado em prática, enquanto você utilizará desta nova ferramenta para poder fazer as escolhas desde o conforto do seu lar. O que será que vem por aí de tão interessante?

O avanço nos estudos e desenvolvimento de plataformas para proporcionar cada vez mais interações nas redes sociais, está facilitando também o aprimoramento de uma nova vertente do comércio eletrônico: o “social commerce” – venda e comercialização de produtos em redes sociais.

Segundo dados da comScore, empresa de pesquisas especializada no comportamento digital, 52% dos internautas brasileiros visitaram o Facebook em junho, enquanto o Twitter teve 27% de participação. Dados como estes só demonstram o grande potencial do país na utilização de novas ferramentas e maneiras de se utilizar este espaço social para vender, anunciar e comercializar produtos para determinado público que se encaixa em seu perfil.

Case de Sucesso

No setor imobiliário já presenciamos alguns exemplos de que é possível comercializar imóveis nestes ambientes de relacionamento online. Em 2009, no boom gerado pela chegada do twitter no país, a construtora e incorporadora Tecnisa saiu na frente, vendendo um apartamento no valor de 500 mil reais para um cliente – operação que foi considerada como uma das vendas mais caras do mundo feitas via twitter. A mesma empresa também utiliza hoje o Facebook para vender os imóveis de seu catálogo, através de sua página oficial.

Relacionamento e recomendações

Enquanto ainda estamos na fase de desenvolvimento e preparação do setor para atuação no “social commerce”, empresas investem no relacionamento e na produção de conteúdo para atrair cada vez mais o maior número de “evangelizadores” de sua marca nas redes sociais. É crescente o número de empresas que já se relacionam com seus públicos nestes ambientes, e este pode ser um grande investimento para resultados posteriores em vendas e em fidelização da marca.

Seu avô, acostumado com os tradicionais anúncios em janelas de imóveis, se surpreenderia quando você dissesse que comprou seu apartamento pelo Facebook? Isto já é uma realidade!

Fonte: ClipImobiliário

INTERNET MUDA FORMA DE NEGOCIAR BENS IMÓVEIS

A internet como espaço de divulgação é para o mercado imobiliário mais um mundo de muitas oportunidades do que desafios. Se bem utilizada, a web pode superar consideravelmente a captação se comparada às ferramentas tradicionais de classificados, além de resultar em um custo mais baixo, que pode chegar a 50% em relação aos meios analógicos. A constatação é do sócio e CEO da Imóvel Prático e diretor da rede de corretores MLS Brazil, Vinicius Ayres, que observa que, por sei mais democrática, a internet também oferece maior abrangência de informações.

Os benefícios, conforme disse ontem ao palestrar no Seminário da Atualidade Imobiliária, na Capital, já são percebidos pela maioria dos corretores. O desafio, portanto, é munir-se de orientações sobre a forma de uso, para que o investimento no canal seja adequado ao negócio. Conforme Ayres, a atividade do corretor sofreu muita pressão em função das nuances tecnológicas que criaram um novo perfil de exigências. “O público virou especialista em descarte. Então a lição é como não ser descartado dentro do curto espaço de tempo e das ferramentas que o corretor possui”, sentencia.

O executivo aponta entre as principais estratégias a inserção real nas mídias online, o que não significa mais ter ou não um website, ferramenta mais do que obrigatória atualmente. A realidade para a atração do público é, conforme ele, as redes sociais e a mobilidade. “É preciso enxergar que existe um mundo em que a inserção nele é indispensável para que não se perca espaço”, afirma.

Conforme Ayres, justamente por todas as pessoas economicamente ativas já estarem inseridas na tecnologia, além de maior exigência, o corretor também encontra um público seguro quanto aos processos. Ayres lembra que, como as informações somente são transportadas para o mundo virtual, não há diferença em relação à segurança. Como são transações simples, de consulta, sem a exigência de dados pessoais, ele acredita que se trata de um processo ainda mais seguro. “A segurança vem ao encontro disso, porque a internet oferece ainda a interatividade, com informações mais amplas, o que significa que ele vai se deslocar menos para ver o imóvel e evitar alguns eventuais surpresas desagradáveis”, explica.

O Seminário de Atualidade Imobiliária, promovido pelo Sindicato dos Corretores de Imóveis do Rio Grande do Sul (Sindimóveis-RS), teve início ontem à noite e prossegue hoje.

Fonte: Jornal do Comércio

ACE VAI CONSCIENTIZAR CORRETORES DE IMÓVEIS A BUSCAR PROTEÇÃO DO SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL

A ACE Seguradora participará hoje, dia 24 de agosto, em Brasília, de um evento que celebra o Dia do Corretor de Imóveis, no Teatro dos Bancários, a fim de divulgar para esta classe os benefícios do seguro de Responsabilidade Civil Profissional. Na oportunidade, a companhia vai destacar por que a proteção se tornou necessária em função de recentes mudanças no Código Civil. “A nova lei, publicada em 2010, diz que o corretor de imóveis poderá responder por perdas e danos em caso de erro ou omissão na prestação de seus serviços”, afirma Rodrigo Granetto, subscritor da área de Linhas Financeiras da ACE. Esta iniciativa da companhia será realizada em conjunto com a Beiramar Imóveis e com a corretora de seguros Patrimar, que possuem forte presença na capital brasileira. O entendimento entre as empresas foi trabalhado pela Assessoria Laço Forte.

De acordo com o executivo da ACE, que lidera o setor de seguros de Responsabilidade Civil Profissional da companhia no Brasil, a apólice indeniza o corretor de imóveis em caso de condenação por danos materiais e morais causados em função do exercício de suas atividades. O produto ainda cobre os custos de defesa, permite a contratação de qualquer advogado e oferece cobertura para todo o território nacional.“ O seguro protege o patrimônio do corretor, sua imagem e garante a reparação do terceiro prejudicado”, ressalta Granetto.

Exemplos de sinistros

Conforme o executivo, um exemplo de sinistro que pode ocorrer é o caso de um contrato de locação elaborado pelo corretor de imóvel que contenha assinatura falsa do locador. “A responsabilidade é atribuída diretamente ao corretor do imóvel e não ao locatário”, afirma. Segundo ele, o corretor pode ser igualmente responsabilizado se fechar um acordo de aluguel de imóvel de veraneio ocupado, ainda que ele também tenha sido vítima do engano. “Ele terá de arcar pelos valores pagos e danos morais”.

Durante o evento no Teatro dos Bancários será encenada a peça “O Segredo para o Sucesso”, apresentada pela Companhia de Comédia Sete Belos. Em seguida, haverá um coquetel onde os corretores de imóveis presentes serão apresentados aos seguros de RCP, em uma ação promovida por especialistas em seguros da ACE e da Patrimar.

Fonte: Zeca de Carvalho NOTÍCIAS - Seguros

terça-feira, 23 de agosto de 2011

ES - CONSULTOR APONTA TENDÊNCIA DE MERCADO IMOBILIÁRIO PARA PRÉDIO DE USO MISTO

Em tempos de reaprender a contabilizar as despesas, o cidadão está cada vez mais preocupado em enxugar ao máximo os seus horários. Na Região Metropolitana de Vitória, essa tônica tem dado certo para o mercado imobiliário, em sintonia com as necessidades dos seus clientes. A indústria da construção civil está ocupando os espaços considerados vazios, que vêm se tornando cada vez menores nos últimos cinco anos. A tendência, então, é produzir prédios de uso misto para venda ou locação.

O consultor imobiliário José Luiz Kfuri analisa o crescimento do mercado de imóveis como resultante do desenvolvimento econômico do Estado. A partir do desenvolvimento da área residencial, com a oferta de novas unidades, o mesmo ocorre no setor do comércio e na prestação de serviços. A tendência é proporcionar ao cidadão as duas condições num mesmo bairro, tanto para morar quanto para consumir ou trabalhar.

A Enseada do Suá é um dos melhores exemplos para ilustrar essa tendência. A diversificação de postos de trabalho no bairro anexou a ideia de residir também. Prédios construídos nos últimos três anos e outros ainda em construção primam pela junção das duas vertentes: oferecem apartamentos residenciais com opções de entretenimento e diferentes pontos comerciais no térreo, com lavanderias, lanchonetes, boutiques e outros estabelecimentos. A tendência é facilitar a vida do morador.

Os postos de trabalho que se transformaram num atrativo para os proprietários dos imóveis residenciais mudaram as feições da Enseada, antes avaliada apenas como bairro comercial. Além de pontos comerciais como o Shopping Vitória, funcionam no bairro alguns postos de administração pública, como Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), Tribunal de Justiça (TJ-ES), Ministério Público (MPES), Tribunal de Contas (TC-ES), Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Secretaria de Estado do Turismo (Setur), Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Prodest) e Secretaria de Desenvolvimento da Cidade (Sedec).

Outras cidades

Nas outras cidades da Grande Vitória a tendência de prédios de uso misto prevalece. Serra, Cariacica e Vila Velha estão apostando firmemente nesse mercado, principalmente porque estão aproveitando os nichos vazios ainda disponíveis na grande extensão territorial. De acordo com o consultor, a cidade de Vila Velha ficou muito tempo tratada como cidade-dormitório e sem investir em salas comerciais. Os últimos investimentos públicos municipais ajudaram a priorizar a estadia do morador na cidade.

Na Serra, o comércio se expandiu para a região do Civit, ampliando os focos de imóveis e ocupando nichos, que tendem a ser mais valorizados. O bairro de Laranjeiras, ainda considerado um dos mais rentáveis em investimento imobiliário, está consolidado. “A visão empresarial mudou para a Grande Laranjeiras. O entorno dos terminais de ônibus também é outro foco comercial forte”, explicou Kfuri. Com a construção do Terminal de Jacaraípe, as salas comerciais próximas ao local ganharão mais visibilidade.

Em Cariacica, condomínios residenciais estão sendo programados e, em consequencia, conjuntos de salas comerciais. Investimentos nas áreas de infraestrutura estão sendo, inclusive, solicitados pela sociedade que já vislumbra outro patamar financeiro, no sentido de pensar a geração de emprego e renda. Alguns investimentos mais simples e outros mais elaborados fazem com que a cidade também participe desse crescimento imobiliário.

Fonte: Cristina Moura

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

PROF. MARCOS MASCARENHAS PARTICIPA DO CURSO INCORPORAÇÃO DE EDIFÍCIOS SOB A COORDENAÇÃO DO ENG. JAMIL RAHME

Prof. Jamil Rahme e Prof. Marcos Mascarenhas

Com o objetivo de levar informação de qualidade aos profissionais que atuam na área imobiliária, está sendo realizado em Salvador, no Catussaba Hotel e Resorts na Alamêda da Praia em Itapuã, na sua 9a. edição, o Curso Incorporação de Edifícios, no formato de 02 finais de semana, com carga horária de 25 horas. Os mais de 50 participantes desta turma são profissionais das áreas de Engenharia, Arquitetura, Direito, Gestores Imobiliários e Técnicos em Transações Imobiliárias.

Curso Incorporação de Edifícios em Salvador

O curso reúne a experiência profissional de mais de 30 anos do engenheiro civil Jamil Rahme e é ministrado há 12 anos em diversas universidades, como UFMG-Universidade Federal de Minas Gerais (no curso de Especialização em Construção Civil), PUC Minas (no Curso de Pós-graduação Gestão de Empreendimentos em Arquitetura e Construção) e FEAD-Faculdade de Estudos Administrativos (no curso MBA/Mercado Imobiliário).

Também é realizado regularmente no SINDUSCON-MG (www.sinduscon-mg.org.br página principal) e mensalmente em instalações próprias na cidade de Belo Horizonte/MG, tendo totalizado mais de 10.000 alunos.

Este Curso faz parte do Projeto Brasil do Prof. Jamil Rahme e já foi ministrado também nas cidades de Brasília, Fortaleza, Goiânia, Florianópolis, Rio de Janeiro, Campinas, Joinville, São José dos Campos, Jundiaí, Aracaju, São Luís e Balneário Camboriú.

Partindo do conhecimento zero do tema, o curso aborda as 3 áreas da Incorporação Imobiliária:

- Técnica (Estudo de viabilidade econômica e financeira de empreendimentos imobiliários, NBR 12.721, fração ideal, área equivalente, área sub-rogada, etc).

- Jurídica (Exame de toda a legislação da área, com análise cuidadosa de como a lei surpreende o profissional no dia a dia).

- Comercial (Patrimônio de Afetação, montagem da Tabela de Vendas, pesquisa de mercado, comercialização de unidades autônomas, etc).

Sobre o primeiro Encontro

Neste primeiro final de semana, dias 20 e 21, dedicado à parte teórica, o Prof. Jamil abordou, com profundidade, o estudo da LEI 4.591/64, NBR 12.721, LEI 10.931/04, NOVO CÓDIGO CIVIL, SOCIEDADE DE PROPÓSITO ESPECÍFICO (SPE), PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO, além dos conceitos básicos como FRAÇÃO IDEAL, ÁREA SUB-ROGADA, ÁREA EQUIVALENTE, ÁREA REAL PRIVATIVA PRINCIPAL e ACESSÓRIA, CUB-SINDUSCOM, PRAZO DE CARÊNCIA, UNIDADE AUTÔNOMA, VAGAS DE GARAGEM (4 TIPOS), além de outras importantes informações sobre COMISSÃO DE REPRESENTANTES e ASSEMBLÉIA DE ADQUIRENTES.

No próximo encontro, dias 27 e 28 próximos, já na parte prática do Curso, continuaremos o importante estudo sobre VIABILIDADE ECONÔMICA E FINANCEIRA, passo inicial para implementação do empreendimento imobiliário.

RECOMENDO

A convite do Presidente Samuel Arthur Prado - CRECI/BA, estou tendo a feliz oportunidade de participar desta 9a. edição em Salvador do Curso Incorporação de Edifícios e com a minha experiência na área profissional e acadêmica posso bem avaliar seu conteúdo, a didática implementada e recomendá-lo aos meus alunos e/ou às pessoas interessadas em empreender no mercado imobiliário, como Incorporador e/ou Consultor.

Participem da próxima edição deste curso em Salvador, que surpreende pela abordagem profunda e segura do Prof. Jamil Rahme.

Na próxima semana publicaremos nova postagem sobre o segundo e último encontro do Curso Incorporação de Edifícios.

Sobre o Prof. Jamil Rahme

- Engenheiro civil formado pela UFMG em 1973, com especialização em Engenharia Econômica, Engenharia de Segurança do Trabalho e Transações Imobiliárias.
- Professor do curso de ESPECIALIZAÇÃO EM CONSTRUÇÃO CIVIL da UFMG.
- Coordenador do curso de extensão INCORPORAÇÃO DE EDIFÍCIOS e do Curso Superior de Tecnologia GESTÃO EM INCORPORAÇÃO DE EDIFÍCIOS na Universidade Fumec.
- Professor do MBA / MERCADO IMOBILIÁRIO da FEAD.
- Professor do curso de pós-graduação GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS EM ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO no IEC da PUC Minas.
- Árbitro da Câmara Mineira de Mediação e Arbitragem – CAMPINAS.
- Diretor Comercial da Construtora NJR S/A de 1981 a 2003, exerce a atividade de incorporação de edifícios há mais de 30 anos.

sábado, 20 de agosto de 2011

CRECI - MS TERÁ PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NA SEMANA DO CORRETOR DE IMÓVEIS

Nesta semana o Conselho Regional da 14ª Região, CRECI/MS, terá uma programação especial alusiva à Semana do Corretor de Imóveis. O dia do profissional é 27 de agosto, mas as ações terão início nesta segunda-feira, dia 22, com a entrega de credenciais a novos profissionais.

São esperados 120 corretores de imóveis no auditório do CRECI/MS e a solenidade, em que os novos profissionais farão o juramento e receberão suas credenciais. Na terça-feira, dia 23 de agosto, às 18h30, haverá palestra com o corretor de imóveis e engenheiro civil, Eduardo Vargas Aleixo, que é especialista em avaliação de Imóveis Rurais. Os tópicos que serão abordados são a influência do tipo de solo, benfeitorias e da distância no valor do imóvel rural. O ingresso solidário é 1 kg de alimento não-perecível.

O ponto alto da programação é que cinco corretores de imóveis que se destacaram por suas trajetórias serão homenageados com o Troféu Colibri de Prata. Neste ano receberão a honraria os corretores de imóveis Antônio Alves de Souza, de Três Lagoas; Eli Rodrigues, de Campo Grande; Gabriel Serafim, de Campo Grande; Dilson Tadeu Auerswald, de Campo Grande e Ajuricaba Cortez de Lucena, de Dourados. Na quarta-feira, dia 24 de agosto, de manhã, a Câmara de Vereadores de Campo Grande vai prestar homenagem aos corretores de imóveis e dentre os homenageados está o presidente do CRECI/MS, Eduardo Francisco Castro.

A programação da semana será encerrada com o Baile do Colibri em Campo Grande, no dia 25 de agosto, organizado pelo Sindicato dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul e em Três Lagoas, no dia 26 de agosto. Além disso, o CRECI/MS, em parceria com o Sindimóveis/MS também lançou uma campanha de valorização da profissão, com mensagens em dez outdoors de vários pontos da Capital.

Fonte: Jornal A Crítica de Campo Grande


ADEMI - BA: MAIS 25 LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS ESTÃO PREVISTOS

Nilson Sarti, presidente da Ademi-BA, no 36º aniversário da entidade

A expectativa é de um cenário positivo no segundo semestre e a previsão de mais de 25 lançamentos imobiliários em Salvador e na Região Metropolitana. Foi com essa boa notícia que a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA) comemorou ontem seu 36º aniversário, com um almoço no Restaurante Amado, na avenida Contorno.

“Estamos com um crescimento harmônico, distribuído em várias faixas de renda e localidades”, disse Nilson Sarti, presidente da Ademi. O dirigente aposta que este será “o melhor Salão Imobiliário dos últimos anos, já que nunca se vendeu os espaços tão rapidamente”.

Sarti afirma que a bandeira atual da Ademi é a sustentabilidade. “A gente não pode mais crescer sem ser sustentável e esse é um crescimento aliado à inovação. Ao mesmo tempo que você protege o meio ambiente, você também aumenta a própria rentabilidade”, argumentou.

Sarti também comentou que a Ademi quer participar mais do mercado do interior do estado. No plano de expansão, a entidade já está em Vitória da Conquista e chegará a Ilhéus, Itabuna e Feira de Santana até o final do ano. Juazeiro, Jequié, Barreiras e Luis Eduardo estão no plano de 2012. Durante o evento, foi homenageado Juvenalito Gusmão de Andrade, ex-presidente e um dos responsáveis por ampliar a influência da Ademi na Bahia.

Fonte:Redação CORREIO Luciana Rebouças

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

UMA PROPOSTA DE REFLEXÃO AOS CORRETORES DE IMÓVEIS BAIANOS

O mercado de trabalho do profissional Corretor de Imóveis tem características próprias e é bastante dinâmico, possibilitando ao Corretor a opção de gravitar em duas das suas modalidades.

A primeira, que denominamos demanda por empregos, é regida por tres condicionantes que são: a remuneração, o regime de trabalho e as atribuições profissionais.

A segunda, e a que mais nos interessa enfatizar, é a demanda por serviços, caracterizada através do exercício profissional, de forma clara e objetiva, pela plena ocupação, sendo sua remuneração prevista na Tabela Mínima de Honorários, aprovada pela Assembléia Geral Ordinária do SINDIMÓVEIS / BA - Sindicato dos Corretores de Imóveis da Bahia e homologada pelo CRECI /BA - Conselho Regional dos Corretores de Imóveis 9a. Região/Bahia, em Sessão Plenária realizada em 15 de fevereiro de 2011.

Observamos, no caso específico do Corretor de Stand Plantonista, o flagrante descumprimento da Tabela acima mencionada, em completo desacordo à racionalidade, enquadrando os Corretores de Imóveis num regime de subocupação, caracterizado principalmente pelo aviltamento dos seus honorários.

As constantes reclamações motivaram o Presidente do CRECI-BA Samuel Arthur Prado a encetar uma campanha, já divulgada neste Blog, no sentido de coibir tal prática pelas imobiliárias, fiscalizando o exercício profissional do Corretor de Imóveis representante de pessoas jurídicas que atuam neste nicho de mercado.

Esta ação, de cunho obrigacional mas também meritória, vem em resposta às ações em defesa do Corretor de Imóveis interpostas pelo SINDIMÓVEIS-BA, na pessoa de sua presidente a Sra. Eliene de Freitas Souza.

Porém, por si só, NÃO BASTA!

É necessário que o Corretor de Imóveis conscientize-se do seu real valor, seu peso específico neste universo multidisciplinar, o percentual de resultado que cada um representa num mercado tão dinâmico e ao mesmo tempo tão volátil, como é o mercado imobiliário na sua própria essência e busque seu enquadramento no regime de ocupação plena, com a observância da remuneração prevista na Tabela Mínima de Honorários.

É preciso que o Corretor de Imóveis não se permita despir-se da sua dignidade e reclame seus direitos adquiridos, denunciando as imobiliárias que praticam tal ilegalidade ao CRECI-BA para as providências cabíveis. Caso não seja adotada esta atitude, de forma particular e imediata, esta pressão das imobiliárias só irá aumentar trazendo enormes prejuízos à categoria como um todo.

- A questão principal não é o Corretor de Imóveis obter este ou aquele resultado financeiro. Transcende a tudo isso. O que está em jogo é a hegemonia e a respeitabilidade do Sistema COFECI-CRECI.

CRECI-SE IRÁ COMEMORAR DIA DO CORRETOR NA SEXTA, 26



O Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE) reunirá os profissionais do setor para comemorar o Dia do Corretor de Imóveis. A data comemorativa oficial é 27 de agosto, mas o evento será realizado na sexta-feira (26), a partir das 20h, no Camp Perrin, no bairro Coroa do Meio, em Aracaju.

Todos os profissionais da corretagem já estão sendo convidados. Para ter acesso ao local, os corretores devem retirar o convite gratuitamente na sede do Creci-SE.

Para o presidente do Conselho, Sérgio Sobral, o encontro é um momento importante para todos que atuam nessa área. “É uma forma de confraternização e também de comemorar as conquistas alcançadas por todos nós em prol do mercado imobiliário”, frisa Sobral. Atualmente, Sergipe conta com mais de 1.700 corretores e 103 imobiliárias. Ele lembra que a cada dia o competitivo mercado imobiliário tem exigido profissionais mais qualificados. “Investir em aprimoramentos e capacitações faz parte do processo, qualifica o profissional, tornando-o mais apto a atuar no mercado. O corretor que possui um leque de conhecimento tanto teórico quanto prático ganha a preferência dos interessados em negociações e colaboram para a cada vez melhor imagem da categoria.

É necessário também ter um plano de marketing, técnicas personalizadas de venda, entre outras ações que podem ajudar no crescimento de sua carreira e na interação com a clientela. Tudo isso é possível quando o profissional utiliza a ética como componente da venda e participa ativamente de todas as atividades proporcionadas pelo Creci local”, ensina.

Profissionalização

O corretor de imóveis é o profissional do mercado imobiliário por meio do qual ocorrem as transações imobiliárias: compras, vendas, permutas e locações de imóveis. A história do corretor de imóveis é bastante antiga, remetendo-se ao tempo da colonização do Brasil, quando esses profissionais eram conhecidos como agentes do comércio. Em 1942, o Ministério do Trabalho, em sua Carta Sindical, designou-os como corretores de imóveis.

No dia 27 de agosto de 1962, foi a vez de o Congresso Nacional reconhecer e regulamentar a profissão, por intermédio da Lei nº 4.116/62, motivo pelo qual se comemora nessa data o Dia do Corretor de Imóveis no Brasil. Com o passar do tempo e os novos rumos do mercado, houve a necessidade de se criar um diploma legal, elevando a categoria a um patamar mais distinto. Novamente o Congresso Nacional interveio e, revogando a lei anterior, promulgou a de número 6.530 em 12 de maio de 1978 consolidando a profissão e concedendo a seus integrantes o título de técnico em transações imobiliárias.

Fonte: Plenário

CRISE EXTERNA NÃO AFETARÁ MERCADO DE IMÓVEIS

SÉRGIO WATANABE

Mesmo com a possibilidade de o panorama de crise influenciar a economia brasileira, é cedo para prever o quanto esse cenário pode afetar o mercado imobiliário do Brasil. "Apesar da possibilidade de passarmos por um momento de turbulência, possivelmente não entraremos em recessão, ou seja, a decisão de comprar imóveis não será afetada”, explica o o presidente do Sinduscon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), Sérgio Watanabe.

Embora não existam rumores de uma recessão no mercado imobiliário imediatamente, Watanabe explica que ainda não é possível saber como a economia americana vai se comportar. “Esse problema pode levar a um efeito cascata, criando uma recessão maior na Europa e Estados Unidos”, comenta, acrescentando que “isso pode vir a provocar uma recessão em cadeia, incluindo o Brasil”.

Segundo o presidente do Sinduscon, esse cenário pode criar uma série de desconfianças, fazendo com que o investidor e o comprador da casa própria tenham receio de comprar.

“Para que o Brasil não sofra, o brasileiro precisa estar confiante de que não vai perder o emprego”, afirma.

Cenário

Para Watanabe, o Brasil precisa, com responsabilidade, “criar medidas para evitar uma possível recessão, evitando que o comprador perca a confiança”.

O Brasil, de acordo com ele, tem o crédito imobiliário ligado à poupança e ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). “Como esses dois fundos são ligados diretamente à economia e ao emprego, em curto prazo, eles não serão influenciados por uma crise externa”, completa.

Segundo o presidente do Sinduscon, o Brasil está em uma posição melhor que na crise de 2008. “Macroeconomicamente, o Brasil está mais preparado para uma possível crise”, completa.

Impacto nas classes sociais.

De acordo com Watanabe, os reflexos de uma possível recessão também devem causar impactos diferentes conforme as classes sociais, o que vai evitar que o mercado imobiliário sofra de forma mais intensa.Segundo ele, as classes A e B são as que mais sentirão os efeitos, pois são normalmente pessoas com uma renda maior, com bens adquiridos e que podem sair de um imóvel para outro maior. “Eles podem ser mais receosos, pois têm uma visão maior do cenário. São pessoas que geralmente possuem aplicações que podem ser afetadas por uma crise externa”, explica.

Já em relação às classes C e D, Watanabe explica que, “se eles tiverem confiança de que não vão perder o emprego, eles compram. São pessoas movidas pela necessidade, se tiver crédito, esse tipo de consumidor efetiva a aquisição”.

Fonte: Correio do Estado (com informações do Infomoney)

TV COFECI: PLANTÃO

A NOVA ERA DO MARKETING IMOBILIÁRIO


As ações de marketing do mercado imobiliário já não são mais a mesma.
Sua empresa está preparada?
Vídeo Criado por Mariana Ferronato, do site marketingimob.com para palestra em evento da ABMI.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

JORNAL DA GLOBO: O BRASIL TAMBÉM VIVERÁ A BOLHA, IGUAL AOS EUA EM 2008?


Com as altas valorizações nos Imóveis, facilidades maiores de financiamentos (que não se sabe se serão quitados x condições futuras nos empregos) - sofreremos nós, os mesmos efeitos que os EUA em 2008? (embora com características de mercado diferentes... poderá acontecer?)

PREÇOS DOS IMÓVEIS AINDA VÃO DEMORAR A CAIR


O mercado imobiliário apresenta sinais de enfraquecimento, mas os preços ainda estão longe de cair. O presidente do Secovi, João Crestana, afirma que os lançamentos estão demorando mais para serem totalmente vendidos. Ele ressalta que os preços dos imóveis ainda estão em alta devido a alta demanda do mercado.

RIO: ABADI PROMOVE DEBATE GRATUITO SOBRE RELAÇÕES ENTRE INQUILINOS E PROPRIETÁRIOS

Rio - Para debater as relações entre locatários e proprietários de imóveis, a Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (Abadi) promoverá o IX Encontro Nacional de Inquilinos e Locadores, que será realizado dia 19 de agosto, de 8h às 18h, no auditório da Bolsa de Valores, na Praça XV de novembro, número 20, Centro do Rio.

Poderão participar do evento, além de inquilinos e proprietários, administradores e corretores de imóveis, advogados, estudantes de Direito e demais interessados. Serão atribuídas 8 horas de estágio pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ).

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone (21) 2217-6950, no site da entidade http://www.abadi.com.br/, ou na sede da Abadi, na Rua do Carmo, número 6, sétimo andar, Centro. Os participantes devem levar ao evento um quilo de alimento não-perecível, que será doado a instituições de cunho social.

Fonte: O Dia online

ENCONTRO NACIONAL DE IMOBILIÁRIAS ACONTECE HOJE

Joinville irá receber nesta quinta-feira (18) o 48º Encontro de Benchmarking da Associação Brasileira do Mercado Imobiliário (ABMI). O evento vai reunir 22 das maiores imobiliárias do país. São as empresas associadas à entidade que se encontram a cada quatro meses para trocar experiências. O encontro é itinerante - acontece sempre em uma cidade onde há associada da ABMI.

Joinville hoje acompanha a tendência nacional de crescimento. Porém, possui uma particularidade: como a atividade econômica que predomina na cidade é a industrial, a maioria do mercado imobiliário é voltado para as classes C e D. "Este grupo representa 80% do público consumidor de Joinville. É um desafio para nós, porque também atendemos as classes A e B", acrescenta Anagê Alves da Silva.

A 48ª edição do evento vai contar com algumas novidades. Entre elas, está o espaço "Parcerias e Resultados". A partir deste Encontro, esta será uma pauta fixa, em que um associado vai apresentar aos outros uma parceria importante que deu bons resultados. Outro assunto que terá destaque é a importância de os corretores de imóveis se qualificarem para atuar em nível global. A palestra será ministrada por Leonardo Stuepp Júnior, gestor do Portal Redimob e organizador do Corretor Global, ciclo de palestras que percorre o país.

Fonte: EconomiaSC

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

DIVULGAÇÃO: XIV FÓRUM IMOBILIÁRIO DA BAHIA

RESERVE JÁ A SUA VAGA PARA O XIV FÓRUM IMOBILIÁRIO,
O
MAIOR EVENTO PARA CORRETORES DE IMÓVEIS
DO ESTADO DA BAHIA.

26 de AGOSTO - HOTEL FIESTA

TAXA DE INSCRIÇÃO: R$ 75,00 (SETENTA E CINCO REAIS), desse valor R$ 25,00 deverá será revertido para o Hospital Aristides Maltez.

INFORMAÇÕES: 71 - 3444 - 1471 / 1478

AS INSCRIÇÕES PARA OS CORRETORES PODEM SER REALIZADAS ATRAVÉS DO SITE: www.creciba.org.br.

ESTUDANTES e ESTAGIÁRIOS realizam inscrições através dos telefones:
71 - 3444 - 1471 / 1478 ou diretamente na sede do CRECI.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

COFECI EDITA RESOLUÇÃO REGULANDO A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ENTRE CONSTRUTORES / INCORPORADORES E CORRETORES / IMOBILIÁRIAS

Conheça a RESOLUÇÃO-COFECI Nº 1.211/2011 na sua íntegra:

Torna obrigatório o registro dos Contratos de Prestação de Serviços para venda de imóveis em lançamento e dá outras providências.
(Ad referendum)*

O CONSELHO FEDERAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS – COFECI, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 16, inciso XVII, da Lei nº 6.530, de 12 de maio de 1978;

CONSIDERANDO a necessidade de se exercer melhor fiscalização sobre o trabalho de comercialização de lançamentos imobiliários, cujo volume de produção tem aumentado significativamente nos últimos anos;

CONSIDERANDO que, assim como todo trabalhador brasileiro tem direito ao Salário Mínimo como forma de manutenção de sua dignidade, também ao Corretor de Imóveis, cuja renda do trabalho é de caráter aleatório, é necessário o estabelecimento de remuneração mínima que lhe possibilite, pelo menos, expectativa de preservação de sua dignidade humana e profissional;

CONSIDERANDO que a presença de estudantes estagiários nos plantões de venda tem sido à sorrelfa utilizada, como se profissionais fossem, excluindo do trabalho que lhes compete os Corretores de Imóveis, além de provocar inescusável redução na qualidade dos serviços prestados, denegrindo a imagem dos verdadeiros profissionais;

CONSIDERANDO a responsabilidade conferida ao Sistema COFECI-CRECI pela Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998, no que respeita ao controle das atividades financeiras relacionadas ao mercado imobiliário,

R E S O L V E:

Art. 1º - Os contratos de prestação de serviços para venda de imóveis integrantes de lançamentos imobiliários, acordados entre Corretores de Imóveis, pessoas naturais ou jurídicas (imobiliárias), e incorporadores e/ou construtores de imóveis, deverão ter cópia arquivada no Conselho Regional de Corretores de Imóveis – CRECI da região, e serão registrados em livro próprio com anotação de, no mínimo, os seguintes dados:

1. Do contratante: nome ou razão social; nome de fantasia, se houver; endereço completo e; número de inscrição no CGC.
2. Do contratado: nome ou razão social; nome de fantasia, se houver; endereço completo e; número de inscrição no CGC.
3. Prazo de validade e data de vencimento do contrato;
4. Informações sobre a exclusividade ou compartilhamento na prestação do serviço;
5. Percentual de honorários a serem pagos ao contratado sobre o valor total de venda dos imóveis;
6. Número de matrícula da incorporação junto ao Cartório de Registro Imobiliário da circunscrição a que pertencer.

Parágrafo Único – O arquivamento e registro do contrato a que refere este artigo serão realizados antes do início do trabalho de vendas do empreendimento.

Art. 2º - Os honorários a que se refere o item 5 do artigo 1º deverão ser pagos integralmente ao contratado pelo sucesso de vendas e dele não poderão ser deduzidos valores para compensação de premiações por produtividade, taxas de gerenciamento, de coordenação ou qualquer outro tipo de desconto, seja a que título for.

Art. 3º - Os Corretores de Imóveis, pessoas naturais ou jurídicas (imobiliárias), ficam proibidos de cobrar em separado, dos clientes compradores, qualquer valor a título de assessoria jurídica, assessoria técnica imobiliária ou outro, devendo fazer constar do contrato de compra e venda, ou do recibo de sinal de negócio, o valor total da transação, sem qualquer partilhamento.

Parágrafo Único – A cobrança em separado dos valores a que se refere este artigo, quando feita pelo incorporador e/ou construtor, deverá ser informada ao CRECI que a comunicará ao Ministério Público, à Receita Federal e ao COAF, para as providências legais cabíveis.

Art. 4º - Fica estabelecido, como honorários mínimos a serem pagos às pessoas jurídicas contratadas por incorporadores e/ou construtores de imóveis para venda de seus produtos, o percentual de 5% (cinco por cento) sobre o valor total da venda de cada imóvel, respeitadas as tabelas homologadas pelos Conselhos Regionais que não conflitem com esta determinação.

Art. 5º - Aos Corretores de Imóveis, pessoas naturais, que tenham atuado como prepostos de pessoa jurídica na venda de imóveis integrantes de lançamentos imobiliários, serão repassados 30% (trinta por cento) do total por ela recebido ou, no mínimo, 1,5% (um e meio por cento) do valor total da venda, dentre estas opções, a que representar maior valor.

Art. 6º - Os plantões de vendas instalados junto aos empreendimentos, ainda que estes estejam em construção, deverão oferecer condições mínimas de utilização, de modo a preservar a dignidade humana dos clientes e Corretores de Imóveis que deles se utilizem, tais como: aeração, instalações sanitárias adequadas, mobiliário e equipamentos que garantam segurança, higiene e conforto.

Art. 7º - Nos plantões de venda os Corretores de Imóveis ficam obrigados a portar e apresentar, incontinenti, quando exigidos pela fiscalização, o Cartão de Regularidade Profissional – CARP expedido anualmente pelo CRECI.

Art. 8º - A permanência de estudantes estagiários nos plantões de venda fica condicionada ao atendimento aos seguintes requisitos:
a) Os estudantes deverão ser identificados através de crachás nos quais constará, em destaque, a palavra “ESTAGIÁRIO”;
b) Para cada grupo de 3 (três) estudantes, é obrigatória a supervisão presencial de, pelo menos, um Corretor de Imóveis regularmente inscrito no CRECI;

Art. 9º - O descumprimento de qualquer dos ordenamentos desta Resolução implicará cometimento de falta grave, conforme estabelece a Resolução-Cofeci nº 315, de 13 de dezembro de 1991, sem prejuízo das demais cominações legais, especialmente as contidas nas Leis nº 6.530, de 12 de maio de 1978, e nº 9.613, de 3 de março de 1988.

Art. 10- Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, concedido o prazo de 90 (noventa dias) para que as pessoas físicas e jurídicas por ela envolvidas promovam as necessárias adaptações às novas regras.

Brasília, DF, 20 de maio de 2011.

João Teodoro da Silva
Presidente
Edécio Nogueira Cordeiro
Diretor Secretário

NOTA DO EDITOR: Significado do termo "ad referendum*
  1. pendente de aprovação
Nota: diz-se de toda ação ou atividade de competência de determinada autoridade ou órgão da administração praticada por terceiros através de delegação de competência. A ação, entretanto, só é efetivada depois de homologada pelo delegante.
A precipitação na publicação da Resolução em epígrafe, ainda pendente de aprovação, provocou no mercado imobiliário, inúmeras manifestações contrárias à mesma e interpretações as mais diversas principalmente quanto à sua imediata aplicação. Esta reação foi replicada em todos os Estados da Federação com a intervenção do Sindicato da Indústria da Construção - SINDUSCON, informando ao setor, bem como solicitando que as manifestações favoráveis ou não sobre essa Resolução sejam encaminhadas aos Sindicatos.

No seu Artigo 5º. a Resolução disciplina de forma explícita a atuação dos Corretores de Imóveis prepostos de pessoas jurídicas quanto aos honorários, e me causou espécie, a orientação da ADEMI-BA, via circular às Incorporadoras/Construtoras, alertando-as "que eventuais atos de fiscalização do cumprimento das normas em apreço (Normas do Sistema COFECI-CRECI), nos stands de vendas, podem ser recusados caso gerem risco de turbamento de quaisquer espécie às atividades empresariais ali desenvolvidas". (Grifo nosso)

Veja abaixo a Circular ADEMI-BA nº. 14/11 de 21 de julho de 2011

Clique na circular para ampliar
Vamos aguardar a homologação da Resolução Cofeci nº. 1.211/2011, que ainda não se encontra disponível no site oficial do COFECI, para editarmos novas postagens sobre o tema, à luz do Código de Ética e da legislação vigente!
Hoje e agora, esperamos que o CRECI Bahia não se abata ante o poder econômico das Incorporadoras/Construtoras, e proceda a fiscalização prometida (vide postagens relacionadas).


JORNAL DA GLOBO COMEÇA A EXIBIR A SÉRIE "EM OBRAS"


Christiane Pelajo viajou por várias cidades brasileiras e conversou com especialistas para mostrar os motivos do crescimento do mercado imobiliário. O setor vive, desde 2008, um período de euforia, sem paralelo, na sua história.

ABERTA VOTAÇÃO DA 2a. EDIÇÃO DO PRÊMIO CORRETOR DO ANO A TARDE

O público tem até o dia 23 de agosto para escolher os profissionais e as empresas que mais se destacaram no mercado imobiliário baiano e que merecem ganhar o Prêmio Corretor do Ano A TARDE, promovido pelo Grupo A TARDE.

A relação das pessoas físicas e jurídicas finalistas nas seis categorias -- Venda, Alugel, Terrenos e Fazendas, Destaque Internet, Destaque Mobi (que anunciam via celular) e Revelação -- já está disponível no hotsite http://www.atarde.com.br/premiocorretor/index.jsf

A votação pode ser feita no próprio hotsite ou nos postos do Classificados A TARDE. Os nomes dos 12 vencedores serão revelados durante a cerimônia da entrega dos troféus no dia 25 de agosto, às 19h30, no Teatro Jorge Amado (UEC), na Pituba, que será acompanhada pela Deloitte.

Fonte: Marilia Ramos via E-mail para "O GESTOR IMOBILIÁRIO"

Executiva de Contas
Agência de Textos
71 3271-7171 / 71 9994-2490