domingo, 1 de dezembro de 2013

MINHA CASA, MINHA VIDA PODERÁ CONTAR COM ASSESSORIA DE EMPRESAS DE GESTÃO CONDOMINIAL


Prédios e conjuntos habitacionais financiados pelo programa Minha Casa, Minha Vida poderão contar com assessoria de empresas para melhorar a gestão condominial. A autorização, dada a prefeituras e governos estaduais, é de que as empresas sejam contratadas 30 dias antes da entrega das unidades, para realizar trabalhos durante 12 meses ou mais.

A Portaria nº 518, do Ministério da Cidades, publicada no dia 11/11, altera a portaria nº 168 que, por sua vez, regulamenta a modalidade Empresas do programa.

Etapas como formação de condomínio, implantação e organização e a gestão propriamente dita estarão no escopo das atividades permitidas.

Empresas de gestão de condomínio poderão realizar ações pedagógicas com moradores, com o objetivo de preparar questões como escolha de síndico, administração de contas e contabilidade etc. Atualmente, municípios já realizam atividades sociais para permitir uma gestão dos condomínios, mas sem o recurso de assessoria de empresas.

O mercado de gestão condominial acredita que a medida do governo que encarrega os bancos de contratar esse tipo de serviço para os condomínios do Minha Casa, Minha Vida vai expandir significativamente os negócios. No entanto, o prazo de um ano para o trabalho estipulado em uma portaria do Ministério das Cidades não agradou ao segmento.

"É pouco tempo para implantar uma cultura condominial", afirma Deborah Mendonça, presidente da Associação Brasileira de Administradora de Imóveis (Abadi). Segundo ela, as empresas avaliam se vale a pena investir nesse mercado, composto em sua maioria por pessoas que nunca moraram em condomínios para ter a garantia de administração "apenas" por um ano.

A portaria do governo dá a entender que depois de 12 meses os moradores do condomínio vão escolher se continuam pagando com dinheiro do próprio bolso os serviços da empresa ou se partem para a autogestão.

"É preciso uma especialização para fazer isso; não é para qualquer um", diz Pedro Wähmann, presidente do Secovi-Rio e coordenador da Câmara Brasileira do Comércio e Serviços Imobiliários (CBCSI).

Adequação
Fernando Schneider, presidente da Apsa, a maior administradora de condomínios do País em faturamento, diz que as empresas precisarão readequar os produtos às necessidades de cada empreendimento do Minha Casa, Minha Vida.

A gestão, segundo ele, muda de acordo com o número de unidades, com a estrutura dos condomínios e com a localização do empreendimento. "Alguns condomínios são maiores que cidades e exigem muito da empresa que os administra", afirma Schneider.

Desde 2011, a Apsa administra 20 condomínios da Associação Cidade Paradiso, do Minha Casa, Minha Vida, em Nova Iguaçu, no Estado do Rio. A empresa foi contratada pela construtora CR2.

O gerente Luiz D'A Cal diz que os moradores têm preocupação em zelar pelas casas. "É o patrimônio deles. A primeira vez que conseguiram comprar um imóvel." Mesmo assim, é preciso muita orientação para manter o "conceito" do empreendimento, ou seja, a padronização dos imóveis.

Fonte: Ministério das Cidades e Estadão

Nota do Editor:
Clique no link abaixo para acessar a Portaria nº 518, do Ministério da Cidades
http://www.ademi.org.br/IMG/pdf/doc-1585.pdf

2 comentários:

  1. Uma ótima maneira de manter a ordem em um condomínio.

    ResponderExcluir
  2. Administrar condomínio e uma tarefa bem difícil com esse programa ajudara muito.

    ResponderExcluir